março 08, 2018

O nosso primeiro “tour” às urgências e o brownie carbonizado

Hoje o bicho pegou e pegou feio, não houve terapia de auto-controle em frente ao espelho que segurasse as hormonas. O dia começou às 6h50 com aquele chorinho de ‘se demorares mais dois minutos pra me dares o biberon, o bairro inteiro vai sentir a força dos meus pulmões’…legal né?! Incorporei o cronômetro materno, independente de eu ter estado quatro dias de cama, e toca a voar para aquecer o biberon, tentar não tropeçar no Jobim que já sente quando a Bella está preste a abrir o berreiro e fica todo aflito, e resistir a um pit stop no frigorífico.

E lá se foram 125ml com muita arte, fralda mudada logo a seguir e… upsss! As pernocas gostosas da Bella estavam com umas manchas brancas. Bah! Não deve ser nada, voltemos a tentar dormir mais umas horinhas. Horinhas?!!! Esquece lá isso Paula, que a tua filha já quer conversa e colo…então lá vamos nós, bommmm diaaaa alegriaaaaa!

Como ainda não podia sair de casa e com esta chuva não rola nem um passeio ao parquinho, me organizei para passar o dia na cozinha a preparar uma série de receitas pro blog e claro, dar toda a atenção a minha futura mini chef.

Primeira receita, um novo brownie de deixar qualquer chocólatra maluco! Passo a passo, foto a foto, brownie ao forno pré-aquecido a 180 graus e… já está na hora de mais um round de 125ml. Desta vez a coisa não correu nada bem, a Bella vomitou tudo e mostrava-se mesmo assim com fome, tadinha. Liguei ao pediatra dela que é tooooop gente!!! Tipo assim, o cara manda muito bem, tem o poder de me acalmar na hora, o que é quase um milagre numa mãe de primeira viagem. Bom, o Dr. Top (como está identificado no meu telemóvel hahaha) pediu para eu lhe tirar a temperatura, esperar meia hora e etc…

E foi aí que o dia tomou um novo rumo. Nada de febre mas as tais pernocas gostosas continuavam com muitas manchas. ‘Hummmm se calhar faço uma foto e envio ao Dr. Top’ …segundos depois ele liga. Pra ser sincera não faço ideia do que ele me disse, o meu cérebro congelou no ‘leve-a às urgências’.

Putz meu, até o meu cabelo tremeu, desliguei e enquanto o António, que tinha acabado de chegar em casa a arrumava no ovo, eu comecei a chorar mais que um fado triste e encalhado (não faço ideia do que quis dizer com isso! Hahaha) A minha bebezinha doente? Urgências?! Urgências?! Urgências?! Credooooo Paula, wake up pra vida mulher!

Gente, sem brincadeira, que sensação de impotência total! Só deu tempo de dobrar os joelhos rapidinho no quarto e pedir, ou melhor, implorar a Deus que não fosse nada!

Respira mulher, a miúda até tá dormindo de boa, ué! Ok preparo a malinha dela e siga pro hospital! Aiiii peraí, melhor tirar o pijama e colocar uma roupa de rua, né?!
Sigaaaa e fecha a porta de casa. Aiiiii peraí, o brownie! Uiiiii minha amigaaaaa, aquilo nem chocolatra nem aquelas pessoas que gostam da comida mais pro “crocante” teriam coragem de provar! Digamos que a coisa carbonizou.

A caminho do carro as lágrimas insistiam em dar o seu ar dar graça, a Fernanda, dona do prédio nos aconselhou calma, já o Seu Zé do café em frente a casa disse para eu não me preocupar, que mais episódios assim viriam no futuro, rir ou continuar a chorar?! Ai este Seu Zé é uma figura! hahaha… Ele e a sua esposa, a dona Fernanda nos acompanham desde o dia em que o António me levou lá há quase quatro anos e me apresentou como a sua namorada. Acompanham de perto a nossa história desde então.

Quase a chegar ao hospital lembrei que tinha esquecido de me pentear, olho para as legging e toma lá com a lei de Murphy, vesti justo as que estavam rasgadas. O que vale é que roupa rasgada hoje em dia tá na moda né?!
Respiraaaaaaaaaaa, conta até dez vah, tu agora é mãe, se vira meu! Não resultou muito bem auto-repetir isso, mas tentei né.
Bommmmm, e aí lá no meio do caos que já estava a minha cabeça descabelada, justo na hora de estarmos a dar entrada nas urgências, chegou o meu cunhado João, o meu sogro e a minha sogra com os seus braços abertos para me dar um abraço bem forte e dizer que tudo ia correr bem com a minha linda bebezinha. Ahhh como soube bem tê-los ao nosso lado naquele momento! Isso pra não falar do WhatsApp a bombar com mensagens aos meus pais super preocupados, a minha cunhada Isabel e a Susana, a madrinha. Esta pequenina mobilizou a galera toda, incrível hahaha…Mas pra ser perfeito mesmo, só faltou uns petiscos e um bom vinho, que foi resolvido depois do susto…hahaha

A verdade é que fomos super bem atendidos nas urgências do hospital dos Lusíadas. Desde a enfermeira na triagem, a pediatra super atenciosa, e as enfermeiras que acharam o máximo cantarmos “Eu Sei Que Vou Te Amar” a Bella, para ela parar de chorar enquanto lhe tiraram a urina e mais tarde uma amostra de sangue. Na verdade eu chorei mais do que ela, ando uma manteiga derretida. Uma das enfermeiras segue o blog, foi muito meiga e me acalmou, ao explicar todo o processo lá do treco pra tirar a urina, e deixou bemmmm claro que ela não estava a sentir dor. Que alívio! Conclusão, a Bella tá ótima, vai se lá saber o que aconteceu…

No meio de tudo isso o Dr. Top ligou várias vezes e nós também íamos informando tudinho do que estava a acontecer. Que sorte a nossa ter o Dr Sergio Pinto como o seu pediatra, porque neste exato momento são 01h17 e acabei de receber um SMS dele com recomendações para esta madrugada e amanhã, mais uma visita à Clínica Babyboom.

Que aventuraaaaaa meu Deus, a primeira ida às urgências da Bella vai ficar na história! Dois momentos especiais irão ficar na minha memória. O primeiro, a imagem dela a segurar com as suas mãozinhas o meu dedo, aquela união que nasce no ventre e permanece para sempre. E o segundo momento foi quando a minha sogra me disse que a Isabella “é uma menina muito especial, é o milagre tão sonhado por todos na família”.
Bem, agora quando este pedacinho de gente crescer iremos contar-lhe esta história entre risadas, para que ela nunca esqueça de que foi, é e sempre será muito amada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *