janeiro 11, 2017

O risotto inesquecivel do Populi

As vezes fico incrédula, como é que a minha memória guarda determinados sabores. Quatro anos atrás fui jantar com um amigo ao Populi, achei o restaurante, situado no Terreiro do Paço, um charme. Decoração a luz de velas, poucas mesas, o que provoca um ambiente cozy, e uma prateleira de vinhos portugueses e estrangeiros, que ocupa uma parede inteira, do chão até ao teto. Gostei assim que cheguei. Apaixonada por risotto nero, pedi o que havia na carta. E é aí que a história começa! Um prato de sonho, que comi lentamente e tentei falar o menos possível durante o jantar, para saborear aquele momento. Até porque, tudo ao redor, convida para uma refeição calma…keep calm I am eating a delicious risotto, ou algo do gênero…hahaha

O engraçado é que passou tanto tempo e não voltei a ir. E mais engraçado ainda, é que moro na Graça, uns 15 minutos a pé da Praça do Comércio, já falei várias vezes ao meu marido para irmos ao Populi, mas acho que o destino só quis que eu retornasse agora…ce la vie mon cherrie!

Bem, voltei e encontrei aquele charme todo nas paredes e nas mesas, que tanto chamou a minha atenção. O staff educadíssimo e com uma simpatia super agradável, me senti totalmente a vontade e conversei, conversei e voltei a conversar mais um pouco com eles. Fui com uma querida amiga, o que ajudou o almoço ficar mais gostoso ainda. Ah! E ao som de grandes hits dos anos 90, como Joe Cocker e Tina Turner.

Ansiosa por provar o tal risotto novamente, me avisaram que a receita tinha passado por algumas alterações, mas mesmo assim arrisquei… já lá vamos, comecemos pelas entradas.
O Populi pertence ao mesmo grupo do restaurante italiano “Mercantina”, por isso o vinho da casa é o mesmo em ambos os espaços. Se fores, pede o tinto, é leve e frutado devido a duas castas muito boas, Aragonês e Castelão. Não são as minhas prediletas, mas combinou na perfeição com todos os pratos.

As entradas são soberbas, os “estaladiços de farinheira da Beira Baixa com cogumelos e redução de vinho do Porto” me encantaram pelo acompanhamento, um molho de maçã raineta e canela fabuloso. A farinheira estava no ponto e os cogumelos muito saborosos.

Mais duas entradas que sugiro são, o “tártaro de salmão e alcaparras com focaccia de azeitona preta” que sumiu num piscar d’olhos…hahaha … eu explico, o salmão estava tão fresquinho que foi de uma vez só, sem tempo pra mais conversa. E a outra entrada que voltaria só para comer com um bom vinho, é o “Mil-folhas de carpaccio de novilho, creme parmesão e chips de cherovia”,
desde o foodstyling do prato ao mix de sabores envolvidos, o parmesão a dar a nota mais alta e o novilho cortado em lascas perfeitamente finas, foi a minha entrada preferida.

Mas só provei um pouquinho de cada prato, o meu cérebro estava totalmente focado para o que vinha a seguir…tchan-tchan-tchannnnn eis que chega à mesa o “Risotto Descobrimentos de choco com tinta e camarão à guilho”, agora paaaaaauuuuussssaaaaaaa!!! Duas garfadas quase seguidas, e respirei. Sinceramente, não sei direito no que alterou, o sabor e a textura continuam formidáveis! Dos melhores que já comi na minha vida! Voltei a comer bem devagarinho, sem presa de ver o prato vazio…hahaha

Ora, outro prato que me surpreendeu foi o “Lombo de Porco em crosta de pimenta verde com tagliolini verdes”, quando chegou a mesa parecia que estava mesmo a “fletar” comigo, e eu na boa correspondi. Provei primeiro o lombo….uh lalaaaaá que era tão picante, que a boca até cantou o fado sem desafinar! …Oi?! Hein?! Sei lá, pensamentos que aparecem do nada quando estamos em meio de uma alucinação gastronómica! …hahaha O meu palato é muito sensível a molhos picantes, este é feito de queijo Filadephia e pimenta verde samora, de certeza que o meu marido e a minha sogra vão delirar quando os levar lá….hahaha…tirando o molho que não posso dizer se gostei ou não, porque o meu cérebro bloqueou num fado qualquer, me deliciei na massa. Suave, e com um sabor amanteigado diferente, outro produto que vem do “Mercantina”.

O menu atual foi criado pelos chefes Giorgio Damasio e Ricardo Estevas. Antes da sobremesa, a conversa com o chef Estevas, com uma experiência surpreendente, antes de chegar ao Populi três anos atrás, passou pelo restaurante Porto Santa Maria, no Guincho. Perguntei-lhe qual era o seu prato preferido no menu, ao que o meu sorriso abriu quando ele respondeu: “o risotto de choco com tinta  é aquele prato que provo sempre com mais vontade.” Afinal, o prato é mesmo inesquecível! 🙂
A sobremesa veio em forma de “mimo”. A doce trilogia que veio no prato, é servido como três sobremesas em separado. O “Crème Brûlée de Baunilha” é tão suave que se desfaz na boca, numa harmonia cremosa e discreta, é a sobremesa mais pedida no Populi, com toda a razão. Provei o Fondant de chocolate branco e gelado, ai genteeee branco, preto, ao leite, sou viciada em chocolate né, fazer o que?! Na hora dei a primeira cortada no bolinho e saiu todo aquele chocolate branco, disse até já a dieta e devorei! A textura perfeita e o chocolate branco…eu repetia aquela sobremesa viu…hahaha gulosaaa
O “cheesecake de lima” também é uma sugestão incrível, a lime sente-se de uma forma equilibrada e o creme é de loucos, também suave e harmonioso.

Vou voltar em breve, disso não há duvida, pelo menos para ver a cara do meu marido ao provar o molho de tomates verdes, enquanto eu me delicio com o risotto! 🙂

O início de 2017 dá o mote à Campanha 30% de Inverno Gourmet, no restaurante Populi River Caffé & Restaurant. Entre 2 de janeiro e 28 de fevereiro de 2017, seja na entrada, prato principal e/ou sobremesa, o público português poderá desfrutar destas iguarias com desconto de 30% em pratos seleccionados, aplicados ao valor em carta, em qualquer um dos dias da semana, ao almoço e ao jantar.

Populi River Caffé & Restaurant – Terreiro do Paço
Lisboa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *